Desenvolvimento

Tecnologias ficam obsoletas. Como o Mapperidea pode ajudar no processo de mudança de tecnologia.

Clóvis Wichoski
junho 22, 2020
Tecnologias obsoletas
Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

Tecnologias ficam obsoletas cada vez mais rápido. Uma pesquisa feita pela Towards Data Science expõe isso ao mostrar quantas vezes uma linguagem de programação aparecia dentre os tópicos feitos por desenvolvedores no Stack Overflow entre os anos de 2009 e 2020.

O resultado revelou que a maioria das linguagens (como C# e Java) tiveram um pico de menções em algum momento, mas rapidamente decaíram. Isso apenas evidencia como houve um rápido desinteresse em um curto período.

É provável que isso tenha acontecido porque elas ficaram obsoletas e caíram em desuso para muitos programadores. Afinal, se menos pessoas as utilizam, surgem poucos questionamentos e debates sobre os assuntos.

Esse é um cenário comum no universo do desenvolvimento de softwares. Mas hoje existem alternativas que reduzem problemas frequentes.

Neste artigo, falaremos sobre como o Mapperidea pode ajudar nesse sentido, além de abordar o que acontece atualmente e as dificuldades encontradas pelos desenvolvedores. Continue lendo e descubra!

Por que uma tecnologia é escolhida?

Atualmente, a escolha de uma tecnologia precisa se basear em três pilares: funcionalidades, compatibilidade e orçamento. E esses três pontos precisam ser estudados antes de começar o projeto. Afinal, um planejamento bem feito evita possíveis mudanças no meio do caminho que poderiam gerar retrabalhos para o time de programadores.

Primeiramente, sobre as funcionalidades, a linguagem de programação escolhida deve suprir as necessidades da aplicação. Ou seja, o desenvolvedor precisa traduzir plenamente todas as suas ideias (ou ao menos o máximo possível) a partir do que for escolhido.

Depois, deve-se pensar na compatibilidade entre tecnologias, levantando algumas questões como:

  • A aplicação performará bem nas plataformas requisitadas?
  • Será possível integrar o resultado com outras tecnologias?

Por fim, todos esses aspectos devem ser observados junto ao orçamento. Afinal, uma linguagem de programação pode ser perfeita para determinado fim, mas talvez exija muito tempo do desenvolvedor, encarecendo o projeto.

Problemas enfrentados pelo desenvolvedor

No entanto, mesmo depois de um ótimo planejamento, os programadores encontram algumas dificuldades comuns. Isso porque, após o lançamento, é preciso fazer manutenções, atualizações e diversos outros pormenores que futuramente podem dificultar o trabalho.

Um dos fatores que demonstram essa problemática é que é difícil saber quanto tempo uma determinada tecnologia vai durar. Sendo assim, daqui a dois anos a equipe de desenvolvimento pode precisar fazer modificações e não encontrar um suporte adequado, uma comunidade engajada, etc.

Com isso, é necessário até mesmo migrar o projeto para outra linguagem de programação em alguns casos. No entanto, essa mudança para uma linguagem melhor ou mais moderna geralmente é muito complexa. Logo, é algo que pode tomar muito tempo dos profissionais, além de exigir um orçamento alto.

Esse cenário é ainda pior quando a equipe não conhece determinada tecnologia e precisa aprender mais sobre ela. Quando isso acontece, é preciso investir em cursos e capacitações que ensinem sobre o assunto. Mas, como dito no início do texto, é comum que as linguagens de programação fiquem obsoletas rapidamente.

Sendo assim, esse investimento acaba sendo constante porque o desenvolvedor precisa aprender sobre algo agora e, depois de pouco tempo, estudar acerca de outra novidade. Consequentemente, é preciso gastar mais tempo e dinheiro periodicamente.

Como o Mapperidea pode ajudar o desenvolvedor?

O Mapperidea trabalha com a nova tecnologia DeepCode, na qual o desenvolvedor foca apenas na lógica de programação, sem pensar em alguma linguagem específica. Isso acontece porque toda a aplicação é feita a partir de mapas mentais, onde o profissional interliga os processos e vai moldando o software sem escrever linhas de código.

Com isso, o programador não precisa se preocupar com o futuro de alguma tecnologia. Afinal, caso alguma mudança seja necessária, basta alterar o mapa mental e exportar o que foi feito para a linguagem desejada rapidamente.

Sendo assim, o desenvolvedor tem dois caminhos facilitados. Caso a tecnologia ainda exista, mas tenha os problemas supracitados, é possível modificar o mapa mental. Se for preciso migrar para alguma novidade, o processo é o mesmo.

Com essas facilidades, o programador não se preocupa com a possibilidade de obsolescência ao utilizar o Mapperidea. Isso porque sua estrutura sempre se manterá, podendo exportar códigos em linguagens de programação antigas ou novas de maneira fácil e rápida.

Além disso, o desenvolvedor não precisará investir em capacitações em períodos muito curtos de tempo. Afinal, ele trabalhará com a produção de ideias no Mapperidea, pensando apenas na lógica de programação, deixando a linguagem em segundo plano.

Tags: 
Freelancer
Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Clóvis Wichoski

Clóvis Wichoski

CEO Mapperidea
Rolar para cima