Desenvolvimento

Porque a falta de mapeamento dos requisitos de negócio pode arruinar um projeto de desenvolvimento?

Clóvis Wichoski
maio 12, 2020
mapeamento dos requisitos de negócio
Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

O processo de desenvolvimento requer bastante atenção em todas as suas etapas para garantir a qualidade de software. Contudo, o mapeamento dos requisitos de negócio é essencial para que o funcionamento das demais etapas ocorra sem problemas.

O mapeamento dos requisitos de negócio,  ato de tentar entender um problema conversando com uma seleção de usuários reais e potenciais, é lugar-comum em quase todos os bons projetos de desenvolvimento. Projetos em cascata tradicionais exigem que um problema seja totalmente compreendido e documentado antes de começar a construir a solução.

Vamos falar um pouco sobre como deve ser feito o mapeamento de requisitos e porquê ele é tão importante. Acompanhe:

O que é mapeamento de requisitos?

O mapeamento de requisitos é o processo de definição das expectativas do usuário para um novo software que está sendo construído ou modificado. Este é o ponto inicial do desenvolvimento de software, uma vez que influenciará as demais etapas do projeto.

O projeto inteiro será baseado no levantamento realizado, apontando quais funcionalidades o programa deverá ter, o motivo delas e qual será o escopo. Uma das maiores dificuldades encontradas pelos analistas é a comunicação com o cliente, que deve ser feita de forma bastante clara para garantir a qualidade de software.

O mapeamento, muitas vezes, pode apresentar problemas por conta da visão do próprio cliente. A visão do negócio deve ser feita de forma meticulosa, analisando qual será o usuário real do programa e quais necessidades ele terá em sua utilização.

Quais os tipos de requisitos?

Um requisito de software é um recurso necessário ao usuário para resolver um problema ou atingir um objetivo. Em outras palavras, o requisito é um recurso de software que deve ser atendido ou possuído por um sistema para satisfazer um contrato, padrão, especificação ou outra documentação formalmente imposta.

Existem dois tipos de requisitos a serem analisados para a qualidade de software, sendo eles:

  • Requisitos funcionais: correspondem às funções que o programa deverá ter, como cadastramento, impressão, orçamentos e envios de arquivos.
  • Requisitos não funcionais: representam as características do sistema, como velocidade de execução, regras de segurança, validações por etapa e restrições. Dentro dos requisitos não funcionais ainda podemos incluir as regras de negócio, que são políticas e normas de funcionamento de um programa.

Como deve ser feito o mapeamento de requisitos?

O processo inicial ocorre com a entrevista do cliente, na qual o analista busca descobrir a real necessidade da criação do software. É indicado que seja feito um questionário para que o cliente responda, considerando todas as possibilidades vistas pelo analista.

Para evitar idas e vindas desnecessárias e possíveis atrasos no processo, os membros de todos os departamentos envolvidos na criação do programa devem participar de forma conjunta para elaborar dúvidas e apontar situações distintas.

Dessa forma, com uma visão mais ampla, fica mais fácil apontar as necessidades e traçar os requisitos do projeto para garantir a qualidade de software. Essa colaboração da equipe é chamada de JAD, Joint Application Design.

Após feita a coleta de todas as informações, os analistas responsáveis devem traçar os requisitos a serem implantados e classificá-los por categorias pré-estabelecidas. Deve-se traçar as prioridades dos requisitos de acordo com as necessidades do cliente.

Qual impacto do mapeamento na qualidade de software?

A essência do programa que será desenvolvido consiste em uma compreensão clara de qual é a necessidade do cliente e como o processo deve ocorrer. Caso ocorram falhas no mapeamento dos requisitos, seja no levantamento, entrevista ou até mesmo no desenvolvimento, a qualidade de software pode ser comprometida.

Em alguns casos, o usuário final do software pode não ser o próprio cliente, o que torna o processo um pouco mais complexo. É importante que o analista de requisitos tenha esse tipo de compreensão para verificar quais são as necessidades dentro do funcionamento do programa.

Para que as chances do mapeamento dar errado ou possuir falhas sejam reduzidas ao máximo, é possível utilizar um software de mapa mental, que transforma as ideias e arquiteturas do software em código-fonte, acelerando o desenvolvimento.

O mapeamento dos requisitos de negócio é o primeiro passo e o mais importante para a qualidade de software. Quando feito de forma clara, torna o trabalho de todos os envolvidos mais fácil, além de promover a cooperação das equipes e um resultado ainda mais assertivo.

Gostou da nossa matéria? Compartilhe esse conteúdo nas suas redes sociais!

Tags: 
Freelancer
Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Clóvis Wichoski

Clóvis Wichoski

CEO Mapperidea
Rolar para cima